Com apoio da Suzano, agricultores familiares de Ribas do Rio Pardo (MS) adotam sistema agroflorestal de produção

Por meio da parceria, famílias dos assentamentos Avaré e Mutum passaram a receber capacitações técnicas para melhorar suas práticas de cultivo e comércio de hortaliças e frutas

Com apoio da Suzano, agricultores familiares de Ribas do Rio Pardo (MS) adotam sistema agroflorestal de produção
Com apoio da Suzano, agricultores familiares de Ribas do Rio Pardo (MS) adotam sistema agroflorestal de produção
Com apoio da Suzano, agricultores familiares de Ribas do Rio Pardo (MS) adotam sistema agroflorestal de produção

Com o apoio da Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, agricultores familiares dos assentamentos Avaré e Mutum, em Ribas do Rio Pardo (MS), deram início à produção de alimentos por meio do Sistema Agroflorestal (SAF), ferramenta que proporciona o aumento da produção por meio da combinação de espécies arbóreas (frutíferas ou madeireiras) com cultivos agrícolas e de criação de animais, de forma simultânea ou rotativa em sua implantação.

 

O sistema também promove benefícios ecológicos em função da conservação dos recursos naturais, tornando possível a produção de diferentes espécies e incentivando agricultores na recuperação de áreas florestais. O apoio para a implantação do novo sistema de produção faz parte do plano de investimento social que acompanha a construção da nova fábrica de celulose da Suzano no município.

 

Para o coordenador de Desenvolvimento Social da Suzano em Mato Grosso do Sul, Israel Batista Gabriel, a parceria com as comunidades rurais do município tem auxiliado no desenvolvimento sustentável da região, promovendo maior geração de renda e melhoria da qualidade de vida das famílias. “A Suzano acredita que só é bom para nós se for bom para o mundo e, por isso, tem apoiado os produtores por meio do aprimoramento de técnicas e potencializando a aptidão já existente na comunidade, proporcionando melhor aproveitamento da mão de obra, menos custos para implantação de culturas e menor sensibilidade à oscilação de preço no mercado, graças à variedade de produtos”, afirma Israel Batista Gabriel, coordenador de Desenvolvimento Social da Suzano em Mato Grosso do Sul.

 

Outro benefício do SAF, acrescenta Israel, é a diminuição da necessidade de insumos externos e mais segurança alimentar para as famílias rurais, com um alimento de melhor qualidade e sem agrotóxicos. Neste sentido, o time de Desenvolvimento Social da Suzano está atuando em parceria com a Associação “Amigos em Ação” dos assentamentos Avaré e Mutum de Ribas do Rio Pardo para aquisição inicial de insumos e equipamentos, além de todo suporte técnico para capacitar as famílias locais, com a adoção de práticas mais sustentáveis de produção e para a comercialização dos produtos.

 

Primeiro ciclo de produção

 

No primeiro ciclo de produção, que está ocorrendo desde novembro de 2021, foram cultivados e comercializados berinjela, folhosas e a famosa pimenta “dedo de moça”, iguaria que adorna pratos culinários do estado e que teve um destaque especial: toda a produção da pimenta foi direcionada para fabricação de conservas e cerca de 200 kg foram destinados ao mercado de molhos em Campo Grande (MS).

 

De acordo com o presidente da Associação “Amigos em Ação”, Sebastião Nepomuceno de Barros Neto Landim, o suporte técnico oferecido pela Suzano já está rendendo bons frutos. “Quando os produtores viram os primeiros resultados e perceberam que é possível aumentar a produtividade e, consequentemente, a renda, o número de famílias que decidiram aderir ao sistema aumentou consideravelmente. No início, éramos apenas 10 agricultores e, depois da visita da Suzano, já somos 40 famílias empenhadas na agricultura familiar”, afirmou.

 

Sobre a Suzano

A Suzano é referência global no desenvolvimento de soluções sustentáveis e inovadoras, de origem renovável, e tem como propósito renovar a vida a partir da árvore. Maior fabricante de celulose de eucalipto do mundo e uma das maiores produtoras de papéis da América Latina, atende mais de 2 bilhões de pessoas a partir de 11 fábricas em operação no Brasil, além da joint operation Veracel. Com 97 anos de história e uma capacidade instalada de 10,9 milhões de toneladas de celulose de mercado e 1,4 milhão de toneladas de papéis por ano, exporta para mais de 100 países. Tem sua atuação pautada na Inovabilidade – Inovação a serviço da Sustentabilidade – e nos mais elevados níveis de práticas socioambientais e de Governança Corporativa, com ações negociadas nas bolsas do Brasil e dos Estados Unidos. Para mais informações, acesse: www.suzano.com.br

 Por: Karla Machado assessora de imprensa do Projeto Cerrado