POLÍCIA LIBERTA VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA DE CATIVEIRO E PRENDE AGRESSOR EM FLAGRANTE COM ARMA DE FOGO

POLÍCIA LIBERTA VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA DE CATIVEIRO E PRENDE AGRESSOR EM FLAGRANTE COM ARMA DE FOGO
Assessoria da Polícia Civil de Ribas do RioPardo - MS

Na data de ontem, a Polícia Civil recebeu uma informação anônima de que uma mulher estava sofrendo diversas formas de violência doméstica e sendo mantida em cárcere privado pelo companheiro, numa fazenda distante aproximadamente 80 Km de Ribas do Rio Pardo/MS. 
Além disso, também foi informada de que o agressor tinha em sua posse uma arma de fogo, calibre .38, com a qual ameaça a vítima, dizendo que se ela fosse embora a mataria. 
Imediatamente, uma equipe composta por policiais CIVIS e MILITARES se deslocou até o endereço indicado na denúncia anônima, onde estavam o agressor (36), a vítima (23) e mais duas crianças, um menino de 05 anos e uma menina de 02 anos. 
Em conversa, a vítima confirmou a um dos policiais os fatos narrados na denúncia e disse que domingo, dia 27/02/2022, o agressor deu-lhe uma surra, arrastando-a pelo quintal, puxando seus cabelos e a jogado em uma poça de lama.
Após, o agressor fez diversas ameaças dizendo que a mataria se tentasse ir embora ou contasse para alguém o que havia acontecido. 
A vítima confirmou aos policiais que o agressor possuía uma arma de fogo, mas que o patrão, havia ligado momentos antes dizendo que policiais estariam indo até a fazenda e que era para ele esconder a arma e fazer com que a vítima negasse as agressões. 
Já em conversa com o agressor, este confirmou todo o narrado e inclusive a ligação do patrão e que por isso a arma estava escondida próximo a um pé de limão, onde fora encontrado um revólver calibre 38, com duas munições intactas.
Perguntado o motivo das agressões à esposa, ele respondeu que no dia ela estava muito alterada querendo ir embora e por isso acabou a agredindo. 
Diante dos fatos, autor, vítima e filhos foram encaminhados até a Delegacia de Polícia de Ribas do Rio Pardo, onde foram adotadas todas as medidas cabíveis e acionado a assistência social do município para abrigar a vítima.
O agressor irá responder pelos crimes de cárcere privado, ameaça e posse ilegal de arma de fogo de uso restrito, vez que a numeração do revólver estava suprimida. 
Além disso, o patrão do agressor, que o instruiu a ameaçar a vítima para mentir para polícia e a esconder a arma, também será investigado pela participação nos crimes de cárcere privado e posse ilegal de arma de fogo.