Presidente da Vetorial fala sobre mercado do carvão em Congresso Florestal

Presidente da Vetorial fala sobre mercado do carvão em Congresso Florestal
Presidente da Vetorial fala sobre mercado do carvão em Congresso Florestal

O presidente do Conselho de Administração da Vetorial, que atua em Mato Grosso do Sul nos setores da siderurgia e mineração, Gustavo Trindade Corrêa, foi um dos palestrantes no Congresso Florestal MS, realizado em Três Lagoas no dia 23 de maio passado e que antecedeu o Show Florestal, a maior feira da indústria do eucalipto do País. 

O evento reuniu no Auditório José Paulo Rimoli, no Sesi do município, as principais empresas, indústrias e marcas florestais de Mato Grosso do sul, além de autoridades e pesquisadores para debates sobre o tema.  

Gustavo Corrêa participou do painel “Novas oportunidades para o uso da madeira em MS” e discorreu sobre o tema “O mercado do carvão vegetal com finalidades siderúrgicas na Região do Centro-Oeste”.

Também participaram do painel Antônio José de Souza, gerente de biomassa na Eldorado Brasil Celulose S.A; Layssa Okamura, pesquisadora do ISI Biomassa (Instituto Senai de Inovação em Biomassa); e Fernando Lopes Latorre, consultor da Paul Wurth do Brasil e sócio-diretor da Latorres Consultoria Ltda.

Mercado
Após apresentar breve histórico das empresas, Gustavo Corrêa explicou que toda a logística de fornecimento de carvão vegetal às siderúrgicas é desenvolvida pela Vetorial Energética. 

“Nossas empresas consomem cerca de 140 mil metros cúbicos de carvão por mês, enquanto que em todo o Estado de Mato Grosso do Sul o consumo mensal gira em torno de 2 milhões de metros cúbicos”, informou.

O carvão utilizado pela Vetorial provém de três fontes distintas: produção própria, contratos de longo prazo com produtores florestais e do mercado spot – carvão nativo com supressão regularizada.

Ferro-gusa
De acordo com Gustavo Corrêa, Mato Grosso do Sul é o único estado do Centro-Oeste que produz ferro-gusa via siderurgia. “Passamos de 230 mil toneladas para alcançar 550 mil toneladas este ano. Desse total, 480 mil toneladas serão produzidas pela Vetorial”, explicou o empresário.

Hoje, a siderurgia demanda no Estado 80 mil hectares de madeira, menos de 10% da demanda total em todo o Estado, onde o protagonismo é do setor da celulose. “Madeira que seria impraticável para a celulose, para nós é matéria-prima. Inclusive a casca, para a geração de energia”, finalizou Corrêa.

Feira
A Vetorial participou em Três Lagoas da 4ª edição, a Show Florestal – Feira da Indústria do Eucalipto, realizada no centro de múltiplos eventos Arena Mix, em Três Lagoas. 

O evento é uma iniciativa privada com o objetivo de impulsionar o crescimento do mercado industrial de florestas plantadas, promover inovação e gerar negócios. A programação contou com caravanas, rodada de negócios e encontro de inovações e tecnologias florestais.